Textos

MINHA BAGAGEM
Eu comprei uma passagem
Pra rever o meu torrão
Fui pra casa dos parentes
Que tenho lá no sertão
E pra ficar bem na fita
Resolvi ir de avião

Até então tudo bem
Minha mala foi folgada
Levei até uns lanchinhos
Para comer na estrada
Da minha casa ao aeroporto
É uma boa esticada

Cheguei no aeroporto
Não tava preocupada
Eu levava até presente
Pra agradar a meninada
Despachei minha bagagem
Fui tomar uma gelada

Chegou a hora de ir
Tava com a mão suada
Mas fingi que estava bem
Que ja era acostumada
Me agarrei com Pe. Cicero
Saí sem olhar nada

Queria fazer bonito
E comecei a gastar
O dinheirinho das férias
Estava pra se acabar
E a passagem de avião
Eu tive que pecinchar

Olha que minha bagagem
Tive que selecionar
O que seria mais útil
Na hora de viajar
O dinheiro está escasso
Não posso execesso pagar

Comecei botando tudo
Sem nem mesmo precisar
Mas quando fechou o ziper
Ficou ja pra estourar
Eu tirei algumas peças
Pra poder balancear

Mas quando fui na balança
O limite superou
Fui tirando agumas peças
Até que estabilizou
Ao invés de ir pra gaveta
A bolsa de mão inchou

Quatro pares de sapato
Eu pretendia levar
Como a bolsa não cabia
Eu resolvi retirar
As minhas calças compridas
Não dá pra armazenar

Outra vez abri a mala
Pra fazer a seleção
Tirei mais algumas peças
Só não tirei o blusão
Uma peça de xadrez
Para brincar o São João

Tirei de dentro um casaco
O qual poderia usar
No percurso do avião
Pois frio podia estar
Deu espaço pras calcinhas
Que teria que levar

Eu cheguei no aeroporto
Com as pernas a tremular
Achando que o piloto
A bolsa ia revistar
Passando no raio x
Começou a apitar

Aí eu fiquei sem jeito
Sem saber o resultado
E o rapaz getilmente
Me mandou tirar o sapato
Descibriram que era um prego
Que eu coloquei no rasgado

Depois foram revistar
A minha bolsa de mão
Tinha alfazema suíssa
Daquelas de um litrão
Estava ainda lacrada
Que comprei na promoção

Tive que deixar ali
Sem nem mesmo reclamar
Também ficou o rexona
Que é do sovaco passar
A gilete e uma pinça
Dos cabelos depilar

E depois de tudo isso
Pra bagunça completar
Tive que tirar o queijo
Que iria temperar
Aquele baião de dois
E pinga pra degustar















Alcinete Gonçalves
Enviado por Alcinete Gonçalves em 22/06/2019
Alterado em 20/07/2019


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr